quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Meditação



by Robério Matos

 

Lamentos e sons místicos.
Uma canção.

Momento ímpar e personalizado

Que nos eleva e transporta
Em um mergulho profundo
Na direção do “ponto de corte”
Ao limite do tempo-espaço.

A consciência desmorona

Flui e se deslustra num espiral.

O Eu, desgarrado da substância,

Levita e imanta-se à natureza.

Nada há, além da candura,

Do silêncio e da paz absolutos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado! Seu gentil comentário nos estimula a seguir adiante.

Carpe diem!